geral@vidasfelizes.com

Aviso de Deus à Igreja de Cristo

“…E sucedeu que, importunando-o ela todos os dias com as suas palavras, e molestando-o, a sua alma se angustiou até a morte. E descobriu-lhe todo o seu coração, e disse-lhe: Nunca passou navalha pela minha cabeça, porque sou nazireu de Deus desde o ventre de minha mãe; se viesse a ser rapado, ir-se-ia de mim a minha força, e me enfraqueceria, e seria como qualquer outro homem. Vendo, pois, Dalila que já lhe descobrira todo o seu coração, mandou chamar os príncipes dos filisteus, dizendo: Subi esta vez, porque agora me descobriu ele todo o seu coração. E os príncipes dos filisteus subiram a ter com ela, trazendo com eles o dinheiro. Então ela o fez dormir sobre os seus joelhos, e chamou a um homem, e rapou-lhe as sete tranças do cabelo de sua cabeça; e começou a afligi-lo, e retirou-se dele a sua força.
E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou ele do seu sono, e disse: Sairei ainda esta vez como dantes, e me sacudirei. Porque ele não sabia que já o Senhor se tinha retirado dele.
Então os filisteus pegaram nele, e arrancaram-lhe os olhos, e fizeram-no descer a Gaza, e amarraram-no com duas cadeias de bronze, e girava ele um moinho no cárcere
...” (Juízes 16:16 a 21)

Onde está o nosso Deus?

Em momentos de aflição, jugo, maus-tratos e dificuldades, temos por hábito perguntarmo-nos onde anda o nosso Deus. A Palavra é muito clara, no que toca a este assunto: Ele nunca nos abandona!“...Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida. Como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei...” (Josué 1:5)Por vezes Deus permite que certas circunstâncias surjam na nossa vida, para ver se somos assim tão honestos e sinceros, quanto falamos. Por isso, vem à nossa vida a dificuldade, a circunstância adversa, a tempestade, o jugo e a opressão. Mas não é por castigo. Deus conhece bem a lei do ‘semear para colher’ e por isso Ele não precisa de castigar ninguém.E para além disso, Ele é amor. Nem a adversidade é para sempre! A circunstância adversa, o jugo, a opressão e a dificuldade, vem para nos melhorar, aperfeiçoar, limpar das impurezas (como um fogo), ou seja, para o nosso bem, mas sempre por um tempo...“...E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito... (Romanos 8:28)

E Deus promete que nos ajudará a passar por esse período, que costumamos apelidar de Deserto. Ele protege-nos, defende-nos, ajuda-nos, livra-nos e só nos tenta até onde conseguimos aguentar.

Precisamos voltar às origens

 "...Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo...” (Mateus 24:10-13)

O panorama evangélico - pentecostal na Europa, a meu ver, está muito negro. Não me refiro a supostas ‘crises financeiras’, mas a crises de identidade, a uma crise espiritual muito forte, onde a ausência do Espírito Santo de Deus é uma constante – Ele não pactua com o pecado...

Vejo alguns que em vez de se dedicarem a salvar almas, andam a ‘pescar nos aquários dos outros’, outros querem ‘evangelizar a todo o custo’, incluindo perdendo a própria família, saúde, mas ricos e enriquecidos, como diz a Palavra de Deus: “...Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu...” (Apocalipse 3:17). 

Eu serei fiel com Deus e Ele será fiel para comigo

“...A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. (...) Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca. Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor...” (Lamentações de Jeremias 3:22 a 26)

Por mais anos que tenhamos na Presença de Deus, nunca é demais estudar acerca de Fidelidade.

O mundo vai cada vez pior, cheio de si mesmo, de técnicas, tácticas, esquemas, crises, problemas sociais e económicos. Mas Deus, que anda pela terra à busca dos que Lhe são fieis, está a desejar poder ajudar-nos e poder demonstrar o seu poder! (II Crónicas 16:9).

Agora... o que é fidelidade? Fidelidade, em primeiro lugar, é viver com integridade e em cumprimento a tudo quanto Deus nos pede, ou nos ensina, nos dá. É reconhecermos que não somos nada sem Deus, que precisamos d’Ele, que confiamos n’Ele. É assumir que estamos a crescer e a tornarmo-nos mais graúdos no caminhar com Cristo. Fidelidade não pode implicar sacrifícios. Ou somos fieis por amor, ou não vale a pena andarmos a enganarmo-nos! Fidelidade implica ser fiel até ao fim com o que pactuámos com Deus.

7 Áreas importantes a ter em conta

  “...Olhai! vigiai! porque não sabeis quando chegará o tempo. É como se um homem, devendo viajar, ao deixar a sua casa, desse autoridade aos seus servos, a cada um o seu trabalho, e ordenasse também ao porteiro que vigiasse. Vigiai, pois; porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã; para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. O que vos digo a vós, a todos o digo: Vigiai...” (Marcos 13:33 a 37)

Jesus exorta-nos a vigiar, a ter atenção! Muitos de nós temos responsabilidade pela vida de outros, mas esquecemo-nos da nossa própria vida! (Cantares de Salomão 1:6)

Deus exorta-nos a termos cuidado da nossa vida (Atos 20:28) A sua vida é muito importante! Você é muito importante! (Romanos 14:7 e 8) E necessitamos de evitar descuidar a nossa vida, para que não sejamos reprovados! (I Coríntios 9:27) Eu não quero que um dia Jesus me diga ‘Chega para o lado, porque não estás em condições!’ E nos dias de hoje existem muitas pessoas que mediante as circunstâncias da vida, desistem!